quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Queda de guindaste na Arena Corinthians não compromete prazos para abertura da Copa

A Defesa Civil e o Ministério Público estão na Arena Corinthians para a perícia do local do acidente que matou duas pessoas no estádio, na última quarta-feira. O processo deve demorar por volta de quatro horas. O coordenador da Defesa Civil, Jair Paca de Lima, está à frente das operações.

No total, 30% da obra foram interditados, o correspondente a cinco mil metros quadrados. Mas, segundo Lima, que já havia feito uma vistoria inicial na última quarta, isso não deve impedir que a obra continue nos outros setores do estádio. Foi decretado luto de três dias no local e os trabalhos serão retomados apenas na próxima segunda-feira. 

Na última quarta-feira, três estruturas metálicas da obra caíram na parte de trás do estádio em construção, após terem sido atingidas por um guindaste que estava colocando a última treliça, de 500 toneladas, sobre o prédio leste. O painel de LED que fica na parte externa do local também foi danificado. 

Em entrevista com o portal Terra, Walter Torre, presidente da construção Wtorre e com base em informações passadas por duas fontes, o engenheiro acredita que é possível em menos de 2 meses reconstruir a parte na qual foi derrubada.
WTorre afirmou que, quando houve o acidente com a queda de uma parte da laje na Arena Palestra (obra que sua construtora é responsável), em 15 de abril, a obra ficou interditada por 32 dias, mas citou que a culpa foi da demora da perícia. Um operarário morreu na ocasião.
Em nota oficial, o Corinthians e a construtora Odebrecht informam que as obras na Arena Corinthians serão paralisadas e retomadas na próxima segunda-feira.

A Fifa já tem consciência do provável atraso e estimou um adiamento de 45 a 60 dias para a entrega da arena. E ainda garantiu o estádio como o palco de abertura da Copa do Mundo em 2014. Ou seja, a tragédia não compromete o prazo para abertura da Copa.



Tragédia na Arena Corinthians: estruturas desabam

Ontem as 12h45 o guindaste que levantava o último modulo da cobertura da Arena Corinthians desabou danificando parte do estádio que estava com 94% das obras concluídas, e o pior, o acidente deixou duas vitimas fatais. 


Mais importante que a conclusão da obra, o fato da morte de dois trabalhos deixa todos muito tristes, pois eram pais de família e homens que trabalhavam para proporcionar qualidade de vida para seus filhos. 

Foi um acidente, uma fatalidade e é lamentável que nas redes sociais da internet, pessoas que torcem contra o Corinthians mostram o lado mais horrível do ser humano, a falta de bom-senso de alguns que achavam graça de um acidente fatal com duas vítimas. Lamentável. 

Investigação

A Defesa Civil e o Ministério Público estão na Arena Corinthians para a perícia do local do acidente. O processo deve demorar por volta de quatro horas. O coordenador da Defesa Civil, Jair Paca de Lima, está à frente das operações. Anteriormente, também na manhã desta quinta, a Odebrecht também fez uma vistoria com seus engenheiros. 

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Arena Corinthians 360º graus

A construtura do estádio corintiano colocu em seu site  fotos 360 graus da Arena Corinthians, que está com 94% já concluídas. As coberturas dos edifícios oeste e leste estão praticamente prontas, restando apenas os serviços de aplicação no forro. Atualmente, com cerca de 1.500 trabalhadores, a obra concentra-se nos serviços de acabamento. Já foram concluídos a maior parte dos banheiros, dos pisos dos prédios leste e oeste, das lojas de concessões e dos vestiários. Confira aqui

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Arco do futuro - O projeto que propõe mudar a cidade de São Paulo



Nos ano de 1920-30, então prefeito da cidade de São Paulo, Prestes Maia, criou o plano de avenidas, com o objetivo de atrair industria de automoveis e dar crescimento para o município. Essa ideia de Prestes Maia saiu do papel e transformou a cidade e fez São Paulo ser o que é hoje, principalmente iniciou o crescimento desordenado e sem planejamento.  

Prestes Maia, começou as obras do seu plano de avenidas, baseado em modelos de cidades como Paris, Moscou e Viena. Estas, porém, já combinavam outras modalidades de transporte, antes de criar rodovias para carros, com hidrovias e ferrovias bem estruturadas (o que não foi considerado na expansão de São Paulo).
Ao passar por ruas e avenidas de carro, é difícil enxergar detalhes da cidade. O que encontramos é um centro velho abandonado e feio, congestionamentos pelas as tais avenidas e marginais de Prestes Maia, rios poluidos, enchentes e periferias populosas e sem centros de trabalho.  A cidade se perde nos predios e nos asfaltos. Mas, você já se perguntou o que há abaixo do asfalto?

Nas muitas das principais vias de São Paulo, a resposta é: rios. Durante o processo de crescimento e urbanização, muitos deles foram canalizados e cederam espaço a corredores importantes como Av. 23 de maio, Av. 9 de julho entre outras.
Os problemas decorrentes disso são sentidos diariamente pelos paulistanos: rios poluídos e sem vida, enchentes e muito trânsito. O que se vive hoje é, em grande parte, consequência de administrações passadas. 
Nada até hoje foi proposto para mudar de forma radical a qualidade de vida da cidade, mas a atual prefeitura coloca em pauta o projeto Arco do Futuro, para transformar essa realidade.
O Arco do Futuro
O projeto prevê organizar o desenvolvimento e promover empregos em uma região formada por avenidas da Zona Sul e da Leste, que pretende transformar em novos centros da cidade.
O arco deve ser formado pela Avenida Jacú-Pêssego (Zona Leste), as marginais Tietê e Pinheiros e o corredor das avenidas Vicente Rao e Cupecê (Zona Sul). A ideia é estimular com incentivos fiscais o adensamento onde hoje há pouca verticalização, caso da Avenida Cupecê, e atrair empresas.
Uma das principais vias que está integrada no plano é a Marginal Tietê que, do ponto de vista geográfico, está na parte central do projeto.


Inicio do projeto - Arco Tietê
O Arco Tietê, plano que a prefeitura começa a debater hoje. É o primeiro passo para a criação do Arco do Futuro, cujo objetivo é juntar moradia, emprego e requalificação do espaço.
Ideias como o enterramento dos trilhos de trem, que hoje cortam a cidade como um muro, foram apresentadas por 17 consórcios para uma área que vai do entroncamento das rodovias Anhanguera/Bandeirantes (zona oeste) à Dutra (zona norte), cortada pelo rio Tietê, e equivale ao tamanho da ilha de Manhattan, em Nova York.

Outras proposta do plano estrategico é de trens correndo no subterrâneo, tal qual metrô, na região central de São Paulo. Parque linear restituindo o verde e a água das chuvas nas margens do rio Tietê, passarelas para pedestres e biciclestas, com lojas, livrarias sobre o rio Tietê. Investimentos que podem chegar a R$ 20 bilhões.

O secretário de Desenvolvimento Urbano da prefeitura, o arquiteto Fernando de Mello Franco, disse que só um projeto desse porte pode mudar São Paulo. 

E segundo o arquiteto Guilherme Wisnik, curador da próxima Bienal de Arquitetura, a maior dificuldade é como viabilizar economicamente um plano desse porte, mas elogia e acredita que está havendo uma retomada do planejamento na cidade. Não mais o planejamento da ditadura, mas o que junta grandes obras com o cuidado com o pedestre.




segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Arena Corinthians com o gramado pintado

A Arena Corinthians começa a ganhar forma. Nesta segunda-feira, o gramado do futuro estádio do Timão começou a ser demarcado. Além disso, a construtora aproveitou o aniversário do clube, comemorado no último domingo, para prestar uma homenagem aos torcedores. No setor da arquibancada, foram instaladas 103 cadeiras que formam uma espécie de mosaico, com a sigla SCCP (Sport Club Corinthians Paulista) e o número 103, lembrando mais um ano de vida na história alvinegra.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Falta pouco

A cidade de São Paulo teráWi-fi grátis em praças a partir de outubro

 A cidade de São Paulo terá conexão à internet sem fio gratuita em 120 pontos da cidade a partir de outubro, de acordo com previsão da Prefeitura de São Paulo. O Praças Digitais já está em testes na Praça Dom José Gaspar, no Centro que fica atrás da Biblioteca Municipal de São Paulo, Mario de Andrade.

De acordo com a previsão da Prefeitura, além das praças, futuramente o paulistano poderá conectar a internet em outras áreas pública como em terminais de ônibus, ruas, parques, entre outros. Será possível conseguir o sinal através de diversos dispositivos como tablets, notebooks, smartphones, netbooks e desktops.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Gramado da Arena Corinthians começa a ganhar forma

O gramado cresce rápido em Itaquera, o campo que receberá a abertura da Copa do Mundo de 2014 começa a ganhar forma. Nesta quarta-feira, a Odebrecht, divulgou imagens que mostram o nascimento da grama na futura casa alvinegra.
Novos plantios, que terão início daqui a uma semana, corrigirão as falhas que hoje aparecem na grama, que é especial para inverno e foi importada dos Estados Unidos. A expectativa no clube é que o gramado esteja totalmente pronto em setembro, com a possibilidade de receber jogos no fim de outubro. A obra nesse momento é em 80% concluída e no próximo mês a obra começará a receber as cadediras.




Fonte: Globo.com

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Prepare sua capa de chuva - Cobertura da Arena Corinthians não abrigará 100% dos torcedores

Torcedores devem se preparar para tomar chuva na Arena Corinthians. Sabemos que a Copa do Mundo se iniciará no mês de junho até 13 julho, e durante esses meses é comum na cidade de São Paulo receber chuva durante todo o dia.Percebo que todas as arenas que foram construidas para Copa, foram instaladas coberturas para abrigar o publico, dando mais conforto para os torcedores durante os jogos, mas o que observo quando vejo as imagens divulgadas do projeto da Arena Corinthians, é perceptível que a cobertura não cobrirá todo o público, e os responsaveis divulgaram que cerca de 7 mil ficará sem cobertura no estádio da Abertura da Copa do Mundo de 2014.
  
Segundo o arquiteto Aníbal Coutinho, considerando somente a estrutura permanente, a cobertura protegerá 85% do público (aproximadamente 41 mil)
Durante a Copa do Mundo, momento em que o estádio passará de 48 mil para 68 mil lugares com o uso de arquibancadas provisórias, o percentual do público coberto será ainda menor, pois a cobertura será a mesma do estádio para 48 mil.

O que não entendo o porque de não construir uma cobertura que abrigue 100% do publico, principalmente pela importancia do estádio para a Copa, e teremos o risco de ver o publico que fica atras dos gols molhados e reclamando da falta de cobertura.

Coutinho explica que o custo da cobertura poder chegar a 25% do valor da construção do estádio, sendo este um dos motivos para não mudar a cobertura do estádio durante o mundial. 
“Nas arquibancadas para a Copa não havia sentido em estender o telhado, porque é um item caríssimo, de 20% a 25% da construção”, disse Coutinho. 

Infelizmente o estádio está na fase final de construção e a estruturas da cobertura já estão instaladas, o que resta é torcer para que no próximo ano não tenhamos chuvas durante os jogos em São Paulo e principalmente no dia da abertura da Copa, caso contrário, prepare sua capa de chuva.



Gramado da Arena começa a ser plantado


Nesta terça-feira (26/06),  o gramado do novo estádio corinthiano começou a ser plantado.  Os trabalhos do plantio, são feitos com a máquina de semear e depois disso será realizada a primeira adubagem. De acordo com o cronograma, o gramado da Arena Corinthians deve ficar pronto em setembro.
 
At setembro, haverá um período de maturação pós-plantio de cerca de 90 dias, em que haverá poda, irrigação, adubação, controle de pragas e doenças, entre outros trabalhos. Todo automatizado, o sistema de irrigação contará com 48 aspersores, com acionamento individual, permitindo irrigar partes diferentes do gramado, de acordo com as necessidades.


segunda-feira, 3 de junho de 2013

Predio Copan, cartão postal do centro de São Paulo

Um prédio que funciona como mosaico. Uma onda de concreto que costura vidas de cerca de 5 mil pessoas. As existências entre paredes que desafiam a linearidade, tortas no bom sentido. Abrigando diferentes classes sociais, artistas e tipos criativos de variadas profissões e orientações sexuais, na conjugação de democracia social e cosmopolitismo. A mais perfeita tradução das misturas de São Paulo, com senso de comunidade e de individualidade. 

Essas frases são apenas algumas possíveis definições para o caleidoscópico Edifício Copan, o agitado cartão postal paulistano dentro do qual moro há seis anos e meio – acompanhando histórias como a de dois vizinhos que dividem a tutela de um cãozinho vira-lata. Ou a de uma ex-vizinha que se comunicava com os amigos através de simpáticos bilhetinhos na porta. 

Sempre me interessei pela história desse colosso de concreto armado – que correu o risco de ficar no papel. Com a maestria de quem curvava a arquitetura moderna a novos patamares de originalidade, Oscar Niemeyer (15/12/1907-5/12/2012) desenhou o conjunto em 1951, por encomenda da Companhia Pan-Americana de Hotéis (Copan). A ideia era inaugurar um conjunto turístico, hoteleiro e residencial nos moldes do Rockefeller Center, em Nova York, a tempo do quarto centenário de São Paulo, em 1954. 

E Niemeyer então caprichou, pensando em um S que seguia o formato acidentado do terreno, com seis blocos, galeria com 72 lojas, salas de cinema (hoje de propriedade de uma igreja evangélica fechada) e 1.160 apartamentos com tamanhos variados (de cerca de 26 m² a 250 m²), divididos em seis blocos que ocupam 32 andares. A falência de duas construtoras, porém, acarretou em um atraso de mais de uma década. O conjunto foi concluído apenas em 1966, com capital do Banco Bradesco, e teve alterações no projeto. Apesar do imbróglio, o prédio materializou-se como símbolo da cidade e até hoje acumula recordes, como o maior prédio residencial da América Latina. 

Viver nesse gigante é conviver com uma saudável variedade – e uma infra-estrutura invejável de serviços na galeria do prédio que não está restrita aos moradores e convida os visitantes à exploração. Aproveite, então, para fazer um programa completo dentro desse ícone paulistano. Para começar, repare no piso desnivelado da galeria e nas logomarcas das lojas que seguem a estética dos anos 1950 – são lojas de roupas (algumas de gosto duvidoso), locadora, lavanderias, salões de beleza em profusão, um alfaiate e muitos restaurantes.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Itaquera será a abertura da Copa no Brasil e não falamos mais disso

Tanto se falou essa semana sobre o impasse da FIFA com o Corinthians para data de entrega da Arena Corinthians que algo ficou no ar. Quem foi que disse que a Arena em Itaquera está atrasada?
A imprensa e principalmente a Rede Globo em seus telejornais replicam a todo momento que o problema "seria o atraso nas obras do estádio" e assim o clube queria entregar somente em fevereiro por esse motivo.
Informação errada, a Arena nunca esteve com suas obras atrasadas, pelo contrario, está em bom andamento e será entregue em dezembro desse ano.
Mas o senhor secretario-geral da FIFA, Jérôme Valcke, que parece que gosta de polemicas, fez uma declaração infeliz, utilizando informações desencontradas da imprensa, que no meu entender, quis tirar do foco problemas dos estádios que serão sedes na Copa das Confederações, deveriam estar totalmente prontos e ainda se encontram com obras em andamento.Já o Corinthians em nota oficial, aqueceu ainda mais o clima devolvendo na mesma medida, esclarecendo que mesmo sendo o estádio que iniciou suas obras 1 ano depois dos demais estádios, está com 76% das obras concluídas, mesmo enfrentando problemas burocráticos com o financiamento junto ao BNDS.



Tudo resolvido.


Na tarde dessa quarta-feira, uma reunião de emergência com representantes do Comitê Organizado Local, Fifa, Corinthians e Odebrecht encerrou a polêmica sobre a sede da abertura da Copa do Mundo de 2014. A construtora e o clube garantiram a entrega do estádio no dia 31 de dezembro deste ano, o que mantém São Paulo como palco da partida inaugural.Junto com Ronaldo e o Secretario-Geral da FIFA, Benedicto Junior (presidente da Odebrecht) e Andrés Sanches (ex-presidente do Corinthians e responsável pela obra da arena) fizeram uma reunião na sede do comitê, no Rio de Janeiro, para resolver a questão. Na ocasião Valcke confirmou a importância da cidade de São Paulo para realização da Copa 2014:"Estou muito satisfeito pelo fato de termos conseguido reunir tão rapidamente todos os envolvidos. É melhor conversar cara a cara do que através da imprensa. São Paulo é um exemplo para todas as outras cidades da Copa do Mundo. Ela é uma liderança e está mostrando o caminho. E onde está organizando congressos e é a cidade que vai receber o jogo de abertura. Então concordamos que em dezembro de 2013 o estádio precisa estar concluído. É claro que pode acontecer de ter ainda algum trabalho no entorno do estádio para serem concluídos em janeiro ou fevereiro. Mas a estrutura do estádio, o que precisamos pronto para a Copa do Mundo, estará pronto em dezembro - disse Valcke .


"Todos temos o mesmo objetivo, realizar com sucesso a Copa 2014, e o estádio em Itaquera é um elemento-chave de desenvolvimento daquela região", completou o secretário-geral da Fifa.


Fonte: Terra


quinta-feira, 2 de maio de 2013

Telão de LED da Arena Corinthians é aprovado em teste noturno.


Jå foi instalado os primeiro modolos para testes do painel de LED na Arena Corinthians. Ainda em fase inicial de montagem, o telão teve apenas uma pequena parte de suas placas de vidro já instaladas. O equipamento completo contará com 170 metros de largura por 20 metros de altura e é considerado uma das grandes atrações da arena que sediará o primeiro jogo da Copa do Mundo de 2014.
Segundo a construtora Odebrecht, as obras do novo estádio do Corinthians já tiveram 70,12% de avanço. Os operários acabaram de assentar o sexto módulo da cobertura metálica do prédio oeste, maior e mais complexo do projeto, e foram iniciados os acabamentos de banheiros, lojas e camarotes. Ao todo, 1.410 funcionários trabalham no canteiro.




Maquete do “Projeto Itaquera 2014”

Confira: Conheça Projeto Itaquera 2014

Arquibancadas provisórias da Arena Corinthians será instalada com dinheiro privado.


O Governo de São Paulo convidou empresas para investir na instalação das arquibancadas provisorias na Arena Corinthians, em Itaquera. O objetivo é não utilizar dinheiro publico para esse fim. De forma inteligente e cooperada, o Governo do Estado, o Clube e a construtora, encontra uma forma para atender a exigencia da FIFA de ampliar a capacidade do estádio de abertura da Copa do Mundo.

O governador de São Paulo diz que dinheiro público não será necessário na montagem. Segundo Alckimin, a Ambeb será a responsável pelo processo de captação de patrocínios para instalação da arquibancadas provisórias da Arena, com um custo estimado de R$ 35 milhões para montagem, manutenção e desmontagem dos 20 mil assentos. A construção será feita pela Odebrecht.
Segundo o vice-presidnte de Relações Corporativas da Ambev, as empresas que se interessarem em colocar recursos para a construção da arquibancada provisória terão o direito de anunciar na estrutura até a Copa do Mundo 2014, quando os direitos de publicidade passarão à Fifa.  
De acordo com Alckmin, é firmado assim, o objetivo de fazer todos os esforços para que não inserir dinheiro público na montagem das arquibancadas provisórias, os recursos públicos serão destinados para as obras de infraestrutura no entorno da Arena. "Obras de acessibilidade e viárias, investimentos na Linha 11 da CPTM e na Linha 3 do Metrô, todas estão andando dentro do cronograma e serão definitivas para a população da cidade", detalhou Geraldo Alckmin.



quinta-feira, 11 de abril de 2013

Os gramados da Abertura e Encerramento da Copa


Os estadios da Copa de 2014 entram em fase de instalaçāo dos gramados, esses que serāo vistos por todo mundo durante as partidas de futebol entre as melhores seleções do mundo aqui no Brasil. O que me faz lembrar alguns mundiais que viveram problemas justamente no tapete principal de um evento como esse. Como no mundial do Mexico de 86 onde parte do gramado saia do solo, o mesmo na Copa da Africa do Sul que a preocupaçāo com o desgaste do gramado do principal estádio da Copa, o Soccer City, fez os organizadores nāo permitir as seleçoes o reconhecimento do campo antes das partidas. 
Neste mes de março o principal estádio do Brasil Vivek novamente um caso de enchente no gramado, o que preocupou e muito a FIFA e a todos, pois nāo é a primeira fez que o Maracanā sofre de alagamento e pior, o estádio que esta em reformas atrasadas para a Copa das Confederações e a Copa do Mundo, já possuia instalado no local o novo sitema de drenagem, fato que mostrou nāo eficiente para tamanha chuva.

Em outubro de 2012, Ícaro Moreno, presidente da Empresa de Obras Públicas do estado do Rio de Janeiro, disse que o Maracanā receberia o melhor sistema de drenagem, com declarações bem cariqueis falou em entrevista ao site Portal da Copa: “A reforma do Maracanã, além de utilizar modernas técnicas de engenharia, segue as boas práticas das construções sustentáveis e ambientalmente eficientes, como o sistema de drenagem do gramado que estamos implantando.” disse Moreno.

Comparações

O Maracanã já terminou a instalação do gramado e a Arena Corinthians inicia a instalação do sistema de drenagem para em até junho seja instalada a grama no estádio, o que me faz colocar no blog as diferenças nesse quisito entre esses dois principais estádios da Copa de 2014.

A drenagem

Maracanā - Durante 6 meses no ano de 2012, os responsáveis pela reforma ficaram em um impasse junto aos técnicos da Fifa que precionavam para que o estádio adotasse o sistema de drenagem a vácuo, que garantiria um escoamento de água em maior velocidade. Por outro lado, o fato de o gramado do Maracanã já ter sido rebaixado em reformas anteriores, comprometeria o lençol freiático situado abaixo do solo do estádio, visto que a tubulação da drenagem à vácuo alcança até 1,5m de altura. E nenhuma outra anternativa de sistema a vacuo de engenharia  moderna foi adotada. Apenas a de escoamento de gravidade. “Duplicamos a capacidade de drenagem, provamos que não precisamos da drenagem a vácuo. Está definido” –  garantiu a epoca Ícaro Moreno.

Arena Corinthians - O sitema de drenagem optado pelo Corinthians foi misto, começou essa semana a ser feita a implantação dos sistemas de drenagem a vácuo (recomendado pela Fifa), e haverá também na arena a opção de drenagem por gravidade.

O gramado

Maracanã - No local, foi plantada a grama do tipo Bermuda Celebration, adequada ao clima tropical, mais resistente à variação de temperatura e que cresce mesmo à sombra, produzida pelas coberturas dos estádios, por exemplo. As arenas Castelão (Fortaleza), Mineirão (Belo Horizonte) e Fonte Nova (Salvador), palcos da Copa das Confederações que já foram inaugurados, também usam a mesma variação.Para a manutenção do gramado, a irrigação é feita com aspersores com comandos individuais e dotados de sensores de umidade. Com área plantada de 9 mil m², o campo do Maracanã será menor que o original, atendendo exigências da FIFA. As dimensões, agora, são de 105m de comprimento por 68m de largura e a distância do gramado para a primeira fileira de arquibancadas diminuiu para 14 metros.

Arena Corinthians - O estádio da abertura da Copa utilizará a grama do tipo Ryegrass, por causa desse tipo de grama a Arena Corinthians terá  um gramado com um sistema de resfriamento inédito no mundo.
O sistema, com água e ar gelados, foi desenvolvido em função desse tipo de grama escolhido para a arena: a Ryegrass é comum em estádios da Europa.
A temperatura ideal para a Ryegrass é de 23 graus C, passou disso, terá que acionar o sistema de insuflamento de ar gelado para que a grama fique nos 23 graus.  Ao ser colocado em funcionamento, o sistema leva água e ar resfriados até as raízes da grama, por meio de canos de diferentes espessuras.

Abaixo dos 14 graus C, porém, a grama precisaria ser aquecida (sistema comum na Europa). “Mas em função do clima de São Paulo, não vamos ter sistema de aquecimento”, explicou Márcio Prado Wermelinger, engenheiro responsável pela produção da Odebrecht. O sistema de irrigação será automatizado e serão colocados 48 aspersores (a Fifa pede de 24 a 30), com acionamento individual. Assim, será possível irrigar partes diferentes do gramado, de acordo com as necessidades.
A concepção foi marcada pela premissa do projeto “fazer o melhor gramado do mundo”.

terça-feira, 19 de março de 2013

A burocracia atrapalhou as reformas que o Brasil imaginava para a Copa

Já estamos em março de 2013 e até o momento as obras do entorno da Arena Corinthians no bairro de Itaquera, onde acontecerá a abertura da Copa do Mundo em 2014, ainda não engataram. E isso se vem em todas as cidades sedes do país, obras de infraestrutura e de estádios ainda estão aquem do que deveria para uma país como o Brasil e um evento que se iniciará daqui um ano.

O governo originalmente esperava usar o evento esportivo da FIFA como uma espécie de pretexto para promover uma reforma ampla e duradoura. Mas a burocracia e a falta de recursos fizeram com que sucessivos projetos fossem adiados.

Segundo o jornal Folha de S. PauloCuiabá, uma cidade-sede de porte médio, provavelmente não concluirá antes da Copa o seu sistema de veículo leve sobre trilhos, segundo relatório apresentado em dezembro por auditores do governo. Uma linha de monotrilho atendendo ao aeroporto de Congonhas na cidade de São Paulo, também só ficará pronta depois da Copa, disse em novembro o governado estadual.

Outras questões logísticas, como a capacidade das redes de telefonia celular e de internet 4G, de alta velocidade para atender ao tráfego adicional dos visitantes estrangeiros, também permanecem em aberto.

Era uma boa oportunidade de modernizar a infraestrutura de todo o país, e alguns tiveram atitudes e boas intenções para realiza-las, mas muito parou na burocracia e no embate político que existe no Brasil. O medo da corrupção que vivemos ainda hoje, também fez que boas oportunidades fossem atrasadas e nem mesmo iniciadas, e essa chance de grande mudanças para população ficaram um sentimento de frustração. 

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Arena Corinthians - Os Projetos Melhor Campo, melhor Iluminação, melhor Telão


A Arena Corinthians tem o projeto, junto os arquitetos responsáveis e a diretoria de marketing corintiana que é chamado de "O melhor".
O projeto consiste em ter o melhor campo, a melhor iluminção e o melhor telão. O sonho vem se tornando realidade com a garantia nas negociações com as principais empresas em seus ramos de atividade e busca sempre os produtos de última geração obtendo o melhor telão do mundo, uma iluminação mais moderna lançada  e um gramado de excelente qualidade.
Já são cerca de 30 acordos com fornecedores de iluminação, louça sanitária e pedras naturais, entre outros.

Na fachada lateral, por exemplo, o clube terá o maior telão do mundo, com 170 m de comprimento por 20 m de altura, feito pela multinacional alemã Osram. Como comparação, o badalado telão do estádio do Dallas Cowboys mede 49m por 22 m.

Nesse telão gigantesco do Corinthians, voltado para a área externa, serão exibidas imagens da torcida que estará dentro do estádio. Isso vai ajudar a criar uma grande atmosfera para quem está do lado de fora. Outros quatro telões, de 30 m por 7,5 m, possuem uma ultra definição de um pixel por 7 mm, igual à do telão do estádio do New York Yankees. Eles ficarão atrás dos dois gols, um voltado para o campo e outro para a torcida.

Outra preocupação do projeto é com a iluminação da arena. Com o intuito de possibilitar uma boa transmissão para HD e 3D, além do super slow motion, os refletores projetarão no campo 5.000 lux. Isso é o dobro da iluminação da Allianz Arena, do Bayern de Munique, por exemplo.

As paredes laterais são em porcelana, com outra fornecedora oficia, a italiana Levantina, maior empresa de pedras naturais do mund. É uma ceramica leve, durável e antipichação. No projeto do estádio, a intenção foi abusar do branco, não só para refletir a luz como também para tornar o ambiente mais fresco.

Mas o principal projeto é ter o melhor gramado. E no momento ha duas empresas negociando e o clube já optou por uma semeadura de inverno, de origem inglesa e mais resistente. “É ponto de honra para o Corinthians ter o melhor campo do mundo”, avisa o arquiteto Anibal Coutinho. Haverá um sistema de refrigeração das raízes, que ficam em uma profundidade maior no solo para equilibrar a temperatura, pela cidade de São Paulo ter um clima temperado.

Toda essa excelencia é para a busca de ser a melhor arena de futebol, ou seja, a Arena Corinthians não será uma arena multiuso, a partir de campo será apenas para o futebol, e não para megashows, deixando eventos pequenos para as areas vips do estádio.

O Corinthians está introduzindo no Brasil uma mentalidade pouco usada nas últimas décadas no país, a busca pelo melhor e não ser o maior, como por muitos foram a busca. Ser maior muitas das vezes não demostrou ser o melhor, e assim o Corinthians estará novamente contribuindo para uma mudança na gestão do futebol brasileiro.