domingo, 23 de novembro de 2014

As Novas Arenas da cidade - 1 parte

Nessa última semana, a Arena Corinthians voltou para o foco da mídia, tudo devido a inauguração da Arena Allianz Parque. estadio do Palmeiras. 

Houve a comparação das dua arenas, coisa que eu particularmente não gosto de fazer, pois acredito que cada equipamento esportivo é único e se faz devido as necessidades e possibilidades de cada clube. Mas como sempre, muita bobagem foi falada, e principalmente, o que acabo saindo com frequência, é o trabalho de "desinformação" que a imprensa esportiva faz continuamente. 

Como disse a cima, cada projeto aprovado pelos clubes, vai de encontro as suas necessidades e possibilidades, tanto financeiras e físicas (terreno), e as oportunidades que acabam aparecendo para viabilizar um projeto de modernização dos estádios de futebol no Brasil. Ninguém sai vencedor ou perder nessa modernização dos palcos do futebol, mas todos que se envolve no esporte indiretamente ou diretamente se beneficia de um bom estádio.

Agora, o que vimos de comparações é um trabalho de desqualificar de uma arena pela outra, e claro, sempre a que será desqualificada é a do Corinthians, faz um bom trabalho, sempre será questionado ou desqualificado, independentemente do que seja, de uma vitória em um jogo, uma conquista invicta em um campeonato, em uma contratação, ou numa construção de um equipamento da magnitude de uma estádio.

 A Arena palmeirense tem um projeto arquitetônico bonito, posso até dizer que possui uma arquitetura nos padrões ortodoxos, de formato visual "clássico" para os olhares brasileiros. A Arena Corinthians tem seu projeto arquitetônico diferente, com uma pegada mais de vangarda, um formato nada ortodoxo no que se diz para um estádio de futebol, e talvez por isso, causa uma certa e compreensiva estranheza dos brasileiros. 

Ora, porque não é comum na arquitetura das cidades brasileiras, prédios ousados e de formatos que fogem do padrão. Já em países dos Emirados Árabes, em Cingapura e em algumas cidades da Europa, arquitetos fogem de formato padrão da atual arquitetura, e construi identidade para cidades, companhias ou eventos. Veja o autodramo de Abu Dabi, o estadio de Cingapura, a arquitetura dos predios de Dubai.

A Arena Palmeiras, foi uma obra idealizada e realizada por uma construtora, e o estadio foi projetado para ser uma arena multiuso, onde alem do futebol, o seu principal objetivo é ser uma arena de shows. E será sem dúvida nenhum, a melhor arena de shows do Brasil.

O formato da Arena foi idealizado para esse fim, a preocupação é vista desde o formato que a arena possui, o espaço criado para a localização do palco, a tecnica de fechamento da area para shows menores, e a preocupação com a acústica. E essa uma das coisa que foi muito falada na semana. E divulgada de forma errada.

A construtora, não fechou o estádio e estudo forma de obter uma boa acústica para a torcida criar um caldeirão, mas tiveram que pensar uma forma, para evitar que o som que será gerado dentro da arena, não vazasse de forma a incomodar os vizinhos, que são muito próximos ao estadio e principalmente, que tivesse uma boa acústica para eventos de música, claro que com isso a torcida em jogos de futebol se beneficiaria. Mas reforço, inicialmente a intensão da acústica, é para shows, o futebol ganha com isso também e não o contrário. 

Tanto foi pensado para shows que o estádio já possui área destinada a camarins, e as declarações do Major da PM e do presidente do Palmeiras na partida de inauguração do estadio, no jogo valido pelo campeonato brasileiro, faz dessa minha afirmação uma força.

O Major 2ª Batalha da Tropa de Choque, não polpou criticas sobre a entrada dos ônibus das delegações no estadio, projetado para ser na rua Turiassu, local classico de concentração da torcida palmeiranse, houve mudança de planos na última hora. 

"Olha, o estádio é muito bonito, maravilhoso, mas quem projetou isso aqui não conhece a torcida que tem. A gente teve que improvisar agora e a entrada do ônibus do Palmeiras vai ser pela Rua Padre Antônio Tomaz, não pela Turiassu”, disse Gonzaga para o site Terra.

 “Como vai entrar um ônibus de um Corinthians ou um São Paulo aqui? Não dá, não tem condições”, complementou a critica o Major Gonzaga visivelmente nervoso.

A arena que foi construída em cima de desentendimento do contrato entre o Palmeiras e a construtora, parece que foi projetada sem uma sintonia fina entre as duas partes, logo a construtora fez da forma que quis o estádio. 

O presidente do Palmeiras, em entrevista realizada no mesmo dia, complementou a minha tese:

"A operação é do Palmeiras. O pessoal da Wtorre está trabalhando em conjunto conosco até para aprender como funciona o futebol no Brasil. É diferente de um show. As exigências da polícia são completamente diferentes. Eles estão trabalhando conosco até para aprender a fazer futebol no Brasil", disse o mandatário para a reportagem.

A Arena Corinthians foi projetada para ser um estádio de futebol, por isso a preocupação com o gramado, a tecnologia inedita no mundo de resfriamento e o único a utilizar grama de inverno em todo o Brasil. Isso porque não é o objetivo do Corinthians em ter mega shows dentro do gramado da Arena, os eventos poderão acontecer, mas dentro do predio Oeste do estádio, shows menores, e especialmente evento corporativos. Ou seja, a arena é de futebol, planejada para futebol, com pequenos espaços para eventos pontuais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário